Taça de Portugal

Logo CPOC

Campeonato Nacional Absoluto 2017

0

Realizou-se nos passados dia 01, 02 e 03 de Dezembro na zona de Mora e Pavia (não se fizeram num dia, kkkkkkkk), o Campeonato Nacional Absoluto em Orientação, este evento esteve a cargo do CPOC – Clube Português de Orientação e Corrida.

O Campeonato Nacional Absoluto é todos os anos a ultima prova de Orientação Pedestre a contar para a Taça de Portugal, é também a prova onde todos os atletas competem entre si, independentemente da idade (escalão), para isso há um apuramento entre todos os inscritos que se conseguirem ficar entre os 60 melhores tempos, avançam para a final, havendo a Final Masculina e a Final Feminina.

Com um fim de semana de tres dias, na sexta feira dia 1 foi organizada uma prova de distancia media que apenas contou para a Taça de Portugal. Eu já com o ranking ganho participei apenas para cumprir calendário, conseguindo mesmo assim o segundo lugar em H45.

Fiz uma boa prova, mas fiz algumas opções para poupar forças (tentei evitar as subidas), por isso o 2º lugar foi muito bom.

Mapa Cabeção trak (DOMA)

No Sábado dia 2 foi o dia da prova de apuramento para a final de Domingo, por isso tentei fazer uma prova sem erros e ao mesmo tempo tentei poupar-me fisicamente pois o importante não era vencer mas sim ficar entre os 60 melhores tempos entre todos os escalões de competição.

Comecei a prova descontraído mas ao ponto 4º fiz um erro grande que me custou mais de 1 minuto, isso não me abalou mas mesmo assim falhei o azimute e perdi mais de 30 segundos no ponto 7º, mas o pior estava para aparecer, nos pontos 11º e 12º entrei em desgaste e tive dificuldade em concentrar-me, mas depois consegui recuperar e depois de beber agua antes do ponto 14º fiz o resto da prova sempre a 100%.

No final voltei a ser 2º no escalão e fui apurado para a final com o 29 tempo.

Apuramento - Monte da casa branca – Oeste – Trak (DOMA)

Resultado – aqui

No Domingo dia 3 foi dia da Final, as minhas expectativas era apenas fazer uma prova sem erros e ajudar o COC no colectivo, pois sabia perfeitamente que individualmente não estou em condições de competir em pé de igualdade com os nossos elites e alguns jovens.

Fiz uma prova boa, sempre seguro e com boas referencias, não vi a passagens na rede na pernada para o 5º ponto (não sei porque marcam passagens no mapa quando há uma passagem na rede que não marcaram). Passei o loop sem dificuldade e só borreguei (perdi tempo) no 27º ponto.

No final fiquei em 14º na geral (pena não ter dado para vencer por equipas).

Resta-me dar os Parabéns aos vencedores, Pedro Nogueira (ADFA) e Helena Lima (COC).

Final – Mapa Monte da casa branca – Leste – Trak (DOMA)

Resultados aqui

OriMondegologo

Troféu Ori Mondego 2017

0

Realizou-se no passado sábado dia 18 de Novembro de 2017 o Troféu Ori Mondego em orientação, prova da Taça de Portugal de Orientação Pedestre.

Depois de muitas provas de cidade (city race), voltei a floresta, e a diferença foi sentida, principalmente para perceber como me orientar na floresta. Foi por isso que me perdi completamente por duas vezes, e se na segunda vez foi por falta de verificação da bússola (azimute, a primeira foi logo para o primeiro ponto de controlo (não vi o triângulo de partida e na zona inicial os caminhos no terreno eram mais que no mapa.

No computo geral da minha participação, valeu o segundo lugar na geral a 1 segundo do vencedor.

Logo Ponto Com

Campeonato Ibérico Masculino 2017

0

Nos dias 16 e 17 de Setembro, o Clube de Orientação do Minho (.COM), organizou na zona de Salto e Montalegre o Campeonato Ibérico Masculino, evento de Orientação organizado todos os anos de forma alternada em Portugal e Espanha. Este evento foi composto por tres etapas de orientação, Distancia Média (sábado de manha), Sprint (Sábado a Tarde) e Distancia Longa (Domingo de manhã).

Mais uma vez fomos presenteado com uma organização de alto nível, com terrenos e percursos excelentes para a prática da modalidade, o que foi de agrado da maioria dos atletas presentes (eu pessoalmente adoro este tipo de terrenos).

Quanto a minha participação, foi muito boa, tendo sem duvida alcançado um dos objectivos a que me propus que era ser mais uma vez Campeão Ibérico no meu escalão, sendo que o meu objectivo principal, que é e sempre será, fazer provas sem erros técnicos, ficou um pouco longe, tendo sido a prova de distancia média a que mais erros cometi.

Sábado de manhã na zona do Lodeiro de Arque (mapa aqui), fui 2º classificado a mais de 1,46 minutos do vencedor, sendo que este resultado acabou por ser bom atendendo aos erros que cometi. Entrei bem no mapa e até ao 3º ponto de controlo correu muito bem, mas no 4º ponto de controle perdi cerca de 30 segundos para o melhor parcial, mas o pior estava para vir quando ao 6º ponto de controle cometi um erro de navegação e perdi cerca de 3,40 minutos, para piorar ainda fiquei “desorientado” logo a seguir para o 7º e voltei a enterrar mais 1,15 minutos e acabei por entregar o primeiro lugar na geral.

Sábado a tarde fomos até a cidade de Montalegre (mapa aqui), para fazer um percurso de sprint, um percurso que foi feito sem erros técnicos o que me deixou muito satisfeito no final, sendo que venci o sprint com mais de 1 minuto de vantagem para o 2º classificado e recuperei a liderança do Campeonato Ibérico no meu escalão.

Domingo de manhã voltamos a zona do Salto (mapa aqui), para a terceira e ultima etapa deste Campeonato Ibérico, uma prova de distancia Longa. Mais uma vez fiz uma prova muito boa tecnicamente (digo tecnicamente porque fisicamente ainda ando em recuperação de forma), e uma vez que estava em primeiro na geral a ideia era não cometer erros nem arriscar de mais nas opções. Se assim pensei assim o fiz e do tempo que perdi foi no 9º ponto de controlo onde fiz um desvio para ir beber agua (perdi cerca de 40 segundos), e logo de seguida no 10º ponto de controlo onde uma zona de vegetação me fez sair da direcção que queria e acabei por perder cerca de 1,24 minutos, tempo este que acabou por ser insignificante na classificação final pois acabei por ser primeiro classificado na distancia Longa e no Campeonato Ibérico em H45.

Resta-me agradecer aos meus amigos pelo carinho e apoio que sempre me deram, ao COC pelo apoio e a Serfisio Barcelos pela minha recuperação para poder competir ao mais alto nível.

Resultados aqui

Logo cor

Bairrada “O” Meeting 2017

0


Depois das duas provas de Sprint de sábado, no domingo fomos até a zona da Vacariça para uma prova de distancia media.

Uma vez que era um tipo de terreno já conhecido, eu pessoalmente não esperava uma prova muito desafiante tecnicamente pois o terreno de eucaliptos e com muitos caminhos actualmente já não é o tipo de terreno que esperamos encontrar em provas da Taça de Portugal de Orientação Pedestre.

No final dos tres percursos consegui ser o primeiro classificado em H45 e assim somar mais uns pontos na luta pela Taça de Portugal.

Mapa Bussaco – Sprint (DOMA)

Mapa Vacariça – Media (DOMA)

Logo cor

Bairrada “O” Meeting 2017 – Sprint Bussaco (filme da minha prova)

2

Depois da prova de Sábado de manhã na Vila do Luso, da parte da tarde subimos até a mata do Bussaco para mais uma prova de Sprint. Voltei a entrar mal na prova e a ter muita dificuldade a ler o mapa, se calhar o facto de estar fisicamente mal não ajudou nada. Depois de hesitar logo no 1º ponto de controlo, voltei a ter dificuldades na opção para o 6º ponto de controlo (vi escadas no terreno mas não conseguia identificar no mapa), pior foi no ponto 7º onde vi um circulo imaginário onde estão as tres árvores juntas (uma curva de nível e o traço que liga o ponto 7º ao 8º deram-me a ilusão de circulo), e por isso fiz a opção por cima em vez de seguir pelo caminho de baixo até ao ponto de controlo nº 7.

Para terminar esta prova já em si complicada, a saída do ponto de controlo 17º coloquei o dedo em cima do ponto de controlo 14º e fiquei sem saber se tinha feito a prova em sentido contrario, por isso bloqueei e só depois de fazer uma visualização mental da minha prova des do ponto 12º é que consegui desbloquear e continuar a prova, neste bloqueio perdi cerca de 73 segundos.

Acabei por fazer o melhor tempo do meu escalão, mas voltei a fazer pior que o vencedor do H18 Tomás Lima.

Ir ao Topo