Depois de alguns dias de competição e de muito boa companhia, chegou o dia de regressar a Portugal.

Domingo, 08 de Julho, dia da nossa viagem de regresso, mas isto contado assim até parece ser uma simples viagem, mas, há sempre um mas, a nossa viagem, praticamente começou no Sábado, quando nos levantamos para correr a final da distancia Longa, pois com o voo a ser as 06,15, e nós a mais de 300 km de distancia, pouco tempo havia para dormir.

Depois da final da distancia Longa, e já na companhia da família Sacchetti, fomos mais uma vez as compras (ultima), para comprar carne e mais qualquer coisa para o churrasco, que era a nossa ultima refeição em terras da Alemanha.

Depois de uma excelente semana de competição, com bons terrenos e bons percursos, a ideia de um churrasco, vinha no sentido de podermos passar mais tempo a mesa, e assim podermos passar melhor o tempo, pois com o voo as 06,15 de Domingo, tínhamos pensado sair da nossa habitação por volta da meia noite, por isso, com a refeição prolongada, o tempo custaria menos a passar.

Mais uma vez (falando por mim), comemos bem e bebemos ainda melhor, por isso, quando demos por ela eram horas de começar a viagem, em direcção ao aeroporto de Frankfurt. Viagem que correu bem, embora com o sono que eu tinha (e bem bebido) e ser obrigado a fazer companhia ao condutor, não era bem o plano que eu tinha, mas infelizmente, foi assim, mas sem problemas, paragem de hora a hora e mais café pro bucho, ehehhehe, quando demos por ela, já estávamos em Frankfurt.

Entregue a viatura, era hora de tentar perceber onde era a zona de embarque, zona rapidamente detectada, mas ainda faltava algum tempo para o check-in, por isso, toca a arranjar um lugar no chão (as cadeiras já estavam ocupadas) e tentar dormir um pouco, mas isso foi impossível, pois pouco tempo depois já estava na hora de fazer o check-in.

Chegada a hora, seguimos a nossa viagem e por volta das 08.00, já estávamos em Lisboa, por isso, fomos novamente subtraídos de 3,50€ na viagem de bus até a gare do Oriente, local onde apanhamos o comboio com destino ao Porto, comboio que para nos facilitar a espera, atrasou-se só quase uma hora, assim deu tempo de tomar um café em condições e só por 0,65 cêntimos.

E pronto, quanto a viagem estamos conversados, quanto ao WMOC, ainda falta o balanço final.

Quanto a minha prestação neste WMOC, para mim, ficou um sabor um pouco agridoce, pois em outros anos ser 5º no Sprint e 4º na Longa, eram seguramente duas grandes vitórias, mas, depois das medalhas do ano passado, qualquer resultado sem ser podium, já não tem o mesmo sabor, isto é o que parece que me querem fazer sentir, só que eu sei bem do que fiz nestas duas finais, e quanto trabalhamos (eu e o Albano João) para cá chegar, e sei que se no Sprint, a medalha podia ser uma realidade, já na distancia Longa, este 4º lugar para mim foi sem duvida um excelente resultado, mas uma coisa são medalhas, outra coisa são os lugares imediatamente a seguir.

Olhando para a final do Sprint, comecei um pouco lento (o que já começa a ser habitual em mim) fiz o 51º tempo, por isso fui sempre recuperando lugares, sendo que no ponto 6º já estava em 4º lugar, mas um pequeno erro no ponto 8º (falhei a entrada de uma rua), atirou-me para 7º lugar, aumentei o ritmo e depois de ser o mais rápido em 4 parciais seguidos, consegui chegar ao 3º lugar já no ponto 14º, mas ao sair desse ponto, hesitei, e cai para 5º lugar, lugar do qual já não consegui sair, pois já estávamos perto do final da prova.

Na final da distancia Longa, mais uma vez, parti mal, desta vez não parti lento, mas cometi um grade erro de orientação, pois não consegui orientar o mapa correctamente por isso perdi muito tempo para o melhor parcial, entrei a perder 55 segundos para o melhor parcial, fiz o 48º tempo, mantive o ritmo muito elevado e recuperei até ao 7º lugar, já no ponto 5º, mas um erro de azimute para o ponto 6º voltou tudo a perder, até final fui fazendo pequenos erros já na zona dos pontos, sendo que para o ponto 10º, perdi 1,05 minutos na opção, opção que me pareceu boa, pois fui sempre a correr e dei bem com o ponto.

Na pernada maior, ponto 19º, fiz uma boa opção, e consegui correr rápido, mas, para meu azar, o atleta que ficou a minha frente (em 3º), ainda conseguiu fazer melhor, tendo sido ele o mais rápido nessa pernada, ganhando-me 67 segundos, tendo ficado a minha frente na classificação final apenas por 46 segundos…

No próximo ano temos Itália, e em 2014 Brasil.

Jantar de despedia, com; José Fernandes, Tiago Sacchetti, Raquel Sacchetti, Mariana Sacchetti, Ricardo Oliveira, José Bolrão, João Casal (Junior), Joaquim Sousa, Ana Casal, João Casal e Rui Antunes