Depois do percurso da manhã, voltamos ao centro da cidade de Vieira do Minho para a 2ª etapa, desta vez sem rios para atravessar.

Voltei a não fazer boa prova, ainda estou sem conseguir correr em condições o que faz com que não consiga ter o discernimento necessário para ler o mapa em corrida, não conseguindo ainda fazer as melhores opções.

Para o 2º ponto optei pela esquerda mas vi que podia ir pela direita, só não vi que podia ir pela direita e atalhar pela passagem no meio da escarpa.

Para o 5º vi que podia ir pela esquerda (talvez fosse melhor) mas já estava cansado e por ali sabia que era sempre a descer, kkkkkkk.

Para o 8º não vi que o ponto estava dentro do muro (se tivesse visto talvez ir pela direita fosse melhor opção).

Para o 9º acreditei na cartografia mas afinal a cerca no final do prédio era intransponível, devia ter saído do ponto logo para a direita.

Para o 14º voltei a não ver a colocação exacta do ponto (sem sinalética extra dá preguiça desdobrar o mapa)

Para o 15º voltei a confiar no cartografo e não optei pelo meio onde tem o V4 (tracejado verde mais fino que significa progressão muito difícil), mas afinal quem la passou, passou a correr.

Foi bom voltar a pegar num mapa e “correr” mas ainda falta muito para o objectivo final.