No fim de semana de 30 e 31 de Janeiro de 2016 o CPOC (Clube Português de Orientação e Corrida) realizou na zona de Lisboa e Sesimbra o LIOM (Lisbon International Orienteering Meeting), sendo que a minha participação ficou-se apenas pela prova de distancia longa realizada no Domingo dia 31 em Sesimbra no mapa Lagoa/Meco.

Sem poder treinar durante toda a semana (efeito das três etapas do Campeonato Ibérico), esta prova foi feita com algum sofrimento e com mais erros que o esperado.

Comecei a prova com algumas cautelas, sendo que a minha maior preocupação era conseguir manter um ritmo que me permitisse correr até ao final.

O primeiro grande erro foi no 7º ponto, achei o ponto simples mas já na zona não vi a baliza, como fui a confiança fiquei sem saber se estava a esquerda ou a direita do ponto e afinal depois de perceber qual tinha sido o meu erro, dei com a baliza enfiada dentro do buraco…

No 10º ponto segui pelo caminho errado já junto ao ponto o que fez com que atacasse mal o ponto.

No 13º ponto, mais uma vez fui com excesso de confiança, teoricamente um ponto de controlo a meia encosta (e com encosta pequena), é um ponto que se veria sem dificuldades, então fui a confiança e já na zona olhei e não vi ponto algum mais uma vez tentei perceber qual o meu erro (não podia ser muito grande pois a ultima vez que tinha visto o mapa e escolhido o ponto de ataque tinha sido a uns 30 ou 40 metros do local onde supostamente estaria o meu ponto de controlo. O que é certo é que onde eu estava tinha lá um ponto de controlo mas não era o meu, o que era muito estranho pois a zona onde eu estava era pequena para ter dois pontos de controlo, fiquei momentaneamente desorientado e mais uma vez sem saber se me encontrava a direita ou esquerda do ponto, pensei voltar para traz, mas depois de voltara a olhar bem para o mapa vi que se corresse para Este até ao caminho eu era obrigado a tropeçar no ponto. Qual o meu espanto quando chego perto do caminho e não vejo ponto nenhum, para mim era impossível isso estar a acontecer (na minha cabeça milhões de pensamentos se cruzavam, como era possível?????, onde eu estaria??????, como era possível eu errar um ponto daquela maneira????, onde eu estaria se afinal a encosta não era aquela??????, como falhei um azimute a apenas 20 ou 30 metros??????, mas afinal onde eu estava ao certo???? olhei para o mapa, fiz uma visualização dos meus passos, o caminho era aquele, a encosta era aquela, eu tinha de estar em cima do ponto, depois la vi atletas a ir a sensivelmente uns 5 metros de mim e a ir a um buraco na parte de cima da encosta controlar o ponto… Mais uma vez uma armadilha, eu estava numa pequena depressão, mas a baliza estava numa pequena depressão que me pareceu ter sido escavada recentemente. 

Depois deste erro desmotivei e o cansaço fez o resto, enfim, gostei do mapa e do percurso e fiquei com pena de não conseguir fazer as duas etapas de Sábado mas prometo que numa próxima prova nesses mapas tentarei não faltar.

Mapa no DOMA