Realizou-se este fim de semana de 27 e 28 de Janeiro em Burgohondo – Avila, Espanha, o Campeonato Ibérico Masculino de Orientação Pedestre 2018.

O Campeonato Ibérico de Orientação Pedestre é constituído por três etapas de Orientação, no sábado de manhã tivemos uma prova de distancia média (prova para durar entre 30 a 35 minutos e realizada na floresta) e a tarde uma prova de sprint (prova para durar de 13 a 15 minutos e normalmente realizada em zona urbana), ficando para domingo a prova de distancia longa (prova para durar de 55 a 60 minutos e realizada na floresta), sendo resultado final apurado no conjunto das três etapas.
Este Ibérico teve nas três etapas três terrenos completamente distintos, sendo o da distancia média constituído por terreno montanhoso de floresta e com muita pedra, o que alem de dificultar a progressão dos atletas, também constituiu um problema na localização exacta dos pontos de controlo devido ao elevado numero de elementos rochosos na zona de alguns pontod de controlo. O sprint teve dois tipos de terreno diferentes, começou com um pouco de floresta, e com o restante percurso em zona urbana.
A distancia longa foi num terreno mais aberto com muitas zonas de cultivo muitos muros e também muita pedra, tornando a prova mais rápida mas muito dura fisicamente.
Na distancia média no mapa de El Pinar de Juanin (Mapa DOMA aqui), senti muitas dificuldades a perceber a cartografia e demorei até conseguir orientar-me, sendo que falhei o 3º ponto de controlo mas foi no 4º onde perdi mais tempo (cerca de 2 minutos) sendo que até final não voltei a cometer erros o que fez que eu consegui-se ser 1º classificado e deixava-me com boas expectativas para o restante Campeonato.
Da parte da tarde na prova de Sprint no mapa de Villanueva de Avila (mapa DOMA aqui) voltei a perder tempo em apenas um ponto de controlo (Ponto 3) mas mesmo assim consegui vencer e consolidar o 1º lugar no Campeonato Ibérico, faltando apenas a Distancia Longa no Domingo de manhã.
A Distancia Longa foi no mapa de Navalmoral de la Sierra (mapa DOMA aqui), um terreno atípico com muitos muros e muita zonas de pedra, sendo que algumas partes até um pouco perigosas para os atletas. Nesta prova tentei não cometer erros e assim o fiz, embora tenha perdido alguns segundos em alguns pontos de controlo, esse tempo deu para voltar a vencer e assim fazer o pleno neste Campeonato Ibérico, com três primeiros lugares nas três provas.
Com estes resultados venci IV Trofeo Maximus (para este troféu contavam as três etapa e todos os atletas presentes, mas para o Campeonato Ibérico apenas os atletas de Portugal e Espanha poderiam vencer o titulo Ibérico) e também o Titulo de Campeão Ibérico em H 45.
Pessoalmente quero agradecer a Serfisio Barcelos pelo apoio prestado na preparação e recuperação do atleta, apoio que tem sido fundamental em todas as conquistas.
A próxima participação é já no fim de semana de 03 e 04 de Fevereiro em Satão.